Soja Transgênica Vantagens e Desvantagens

Quando se fala de transgênicos se está falando de organismos que foram produzidos graças aos recursos oferecidos pela engenharia genética ou aqueles que foram de certa forma modificados usando os mesmos recursos. Neste caso, na prática, o que é feito é a transição de genes de um organismo para um outro.

A sequência do DNA é quebrada pelos genes que são chamados pelos cientistas de estrangeiros. Isso faz com que aquele organismo que recebe os genes “quebre” a própria sequência e reinicie uma outra, produzindo uma nova substância em consequência.

Para os cientistas o homem desde que passou a cultivar o alimento para consumo deu início ao processo de descobertas de melhoramentos genéticos das plantas. No início, porém, os recursos permitam que esses melhoramentos fossem feitos somente com técnicas convencionais como a seleção e a reprodução sexuada.

Porém, com a descoberta mais detalhada sobre os materiais genéticos de vários tipos de espécies foi possível aprimorar técnicas para fazer a transferência de genes. Esses novos métodos permitem que seja feita uma transferência de genes de uma espécie para outra sem ter que fazer a reprodução sexual. E a tecnologia que permite que isso seja possível ganhou o nome de Engenharia Genética. Graças a ela é possível fazer esse tipo de introdução de uma espécie para outra de forma mais precisa e controlada levando em consideração todas as características das plantas que estão sendo trabalhadas.

Conhecendo Melhor o Processo da Engenharia Genética

A primeira tentativa foi feita em 1973, quando foi transferido um DNA de uma bactéria para dentro de uma planta. O tempo foi passando e as pesquisas aumentaram e o método se modernizou ao máximo e em 1994, o tomate transgênico passou a ser comercializado nos Estados Unidos. Nas cidades americanas a partir dessa data aumentou significativamente o número de produtos com modificações nos genes e a comercialização deles foi sendo liberada rapidamente. Porém, o que vem sendo muito questionado desde o surgimento da tecnologia que permite essas modificações é quais são os efeitos a longo prazo. Se esses produtos podem representar um risco para o meio ambiente e também para as pessoas que os consomem. Se investe muito em pesquisa para ter uma resposta para essas perguntas.

Na lista de consumo, produção e liberação de produtos transgênicos, os Estados Unidos é líder absoluto. Assim como são os maiores exportadores desses produtos do mundo.

No mundo inteiro calcula-se que o plantio de transgênicos seja numa área total de 35 milhões de hectares. Entre os produtos mais modificados estão o milho, a canola, a soja, o algodão e a batata. Os países que mais fazem esse tipo de cultivo, em primeiro lugar Estados Unidos, seguido de Canadá e China. E falando de soja, de acordo com pesquisas, se crê que de 80% a 90% da soja produzida no mundo seja geneticamente modificada.

O que se foi produzido até agora mudando os genes foi com o objetivo de tornar as plantas mais resistentes a insetos e tolerantes a herbicidas.

O Perigo dos Produtos Transgênicos

Ao mesmo tempo que se reconhece a importância da biotecnologia para melhorar a qualidade de vida no mundo é necessário não esquecer os efeitos nocivos que esses alimentos podem ter sobre o corpo humano. Fatos como alergias provocadas por esses alimentos já foram registrados ou ainda, aumento da resistência a alguns antibióticos e por fim, o surgimento de novos vírus.

Claro, que todas as empresas que trabalham com essa biotecnologia garantem que fazem testes suficientes para evitar qualquer dano à saúde de quem consuma esses produtos. Porém, também é de conhecimento geral, que não se sabe muito ainda sobre a Engenharia Genética, ainda existem pontos que precisam ficar claros.

O ser vivo é formado por milhares de genes e para dizer com segurança se a modificação não é perigosa à saúde, seria necessário conhecer se não tudo, boa parte deles. Só a soja, que falaremos mais a frente sobre as vantagens e não vantagens de produzi-la transgênica, possui entre 100 mil a 200 mil genes. Atualmente, somente 20 deles foram estudados.

Os primeiros problemas em relação a liberação da produção e consumo de produtos transgênicos sem o devido controle já foi sentida. Em 1989, pelo menos 37 pessoas morreram e cerca de 1.500 ficaram inválidas depois de consumir um suprimento alimentar feito com produtos geneticamente modificados. O produto era à base de triptofano que foi feito com uma bactéria que tinha sofrido modificações nos seus genes.  Sendo modificada, ela acabou produzindo uma substância muito tóxica e pelo menos 5.000 pessoas ficaram doentes no Japão em consequência do consumo do produto. A identificação da substância nociva só foi descoberta depois que o produto era vendido livremente e com autorização no comércio japonês.

Outro exemplo, é a soja modificada produzida pelos americanos. Foi descoberto que ela é quem provoca problemas de saúde nos agricultores, ficando em terceiro lugar como responsável por doenças nos trabalhadores. São exemplos para mostrar o quanto a pesquisa e a cautela se fazem de extrema importância antes de considerar os transgênicos uma ótima opção.

Veja as Vantagens e Desvantagens da Soja Transgênica!

As Vantagens:

  • Faz com que o tempo de validade do produto aumente.
  • Pode ser uma forma de reduzir ou até eliminar a necessidade do uso de agrotóxicos.
  • É possível balancear melhor os nutrientes e adequá-los a dieta saudável.
  • Fazer modificações em produtos com um custo mais baixo, como por exemplo, o leite sem lactose.
  • Possível vacinar usando os alimentos.

As Desvantagens:

  • Todos os organismos modificados se tornam altamente alérgicos.
  • Alguns antibióticos acabam sofrendo maior resistência pelas bactérias existentes no corpo humano.
  • Podem geram substâncias tóxicas sem intenção.
  • Podem surgir novos vírus.
  • As culturas transgênicas podem acabar resultando na produção de novas pragas.
  • Alguns micro-organismos e insetos que são necessários no equilíbrio da natureza podem acabar desaparecendo.
  • Pode acabar contaminando os lençóis freáticos e o solo porque se intensifica o uso de agrotóxicos.
  • As plantas e os animais podem acabar com o organismo com maior resistência a agrotóxicos e antibióticos.

Gostou? Curta e Compartilhe!

Categoria(s) do artigo:
Agricultura

Artigos Relacionados


Artigos populares

Comentários

  • LA INVESTIGACION TIENE GRAN IMPORTANCIA, PERO PREOCUPA UN POCO LA INCIDENCIA EN LA SALUD

    MAURICIO 21 de março de 2014 13:02
  • ESTE PROYECTO ES MUY IMPORTANTE EN NUESTRO ENTORNO, PUES SE CAMBIAN Y AUMENTAN PROPIEDADES EN VEGETALES, GRANOS ETC,

    SOFIA 21 de março de 2014 13:05
  • Gostaria de responder/comentar ponto a ponto este artigo.

    Efeitos a longo prazo: quão longo? Afinal, já se consome transgênico pelo mundo afora faz mais de 15 anos e não há um único relato sério de gente ou bicho doente, só os “artigos científicos” de Seralini e seus congêneres.

    Área plantada: só no Brasil já passa dos 41 milhões de hectares, no mundo está bem perto dos 180 milhões, concentrados nos EUA, Brasil, Argentina, Canadá e Índia, nesta ordem, mas com a participação de muitos outros países. De onde apareceu a cifra de 35 milhões de hectares? O cultivo de plantas GM não é uma coisa restrita, está a muito tempo em campo e sem problemas ambientais comprovados.

    Embora a maioria das plantas transgênicas (GM) seja tolerante a herbicida ou resistente a insetos, ou ambas as coisas, já há plantas no mercado que produzem um óleo melhor ou que têm propriedades nutricionais melhoradas (para o homem ou para os animais de criação). Logo teremos plantas tolerantes a seca ou a outros estresses abióticos, que produzem mais ou que carregam novas vitaminas.

    Quanto aos efeitos nocivos: a) a única alergia observada foi num dos primeiros casos de planta GM, que expressava uma proteína da castanha do Pará. Esta planta nunca chegou ao mercado. Não há outro caso até hoje. Quanto à resistência a antibióticos, isso é apenas fábula da internet, não há um único caso descrito até hoje. Muito menos de novos vírus! De onde veio esta miragem?

    O exemplo do triptofano é péssimo, porque nada tem a ver com o consumo de transgênico, mas com uma falha no processo produtivo, que poderia ter acontecido com qualquer indústria, mesmo sem usar transgênico. É mais uma das histórias de lobisomem que se conta pra combater as plantas transgênicas, usando como exemplo uma bactéria…

    Que problemas são estes citados sobre a saúde dos agricultores s pela soja GM? Depois de 7 anos estudando a questão a fundo, nunca vi isto e me parece altamente improvável que seja verdadeiro.

    Vamos agora à lista das desvantagens;
    As Desvantagens:
    a) Todos os organismos modificados se tornam altamente alérgicos. Por que razão neste mundo de Deus? E que demonstração há disso? Uma completa inverdade.
    b) Alguns antibióticos acabam sofrendo maior resistência pelas bactérias existentes no corpo humano. Já comentei acima: é pura lenda da internet, não há um único caso descrito na literatura científica.
    c) Podem geram substâncias tóxicas sem intenção. Porque mecanismo? Também não há relatos nas plantas comerciais, que são produto de uma seleção super rigorosa de milhares de candidatas GM até se chegar à linhagem elite, da mesma forma como ocorre com o melhoramento genético clássico.
    d) Podem surgir novos vírus. Já comentei antes: isso é pura história de lobisomem e desafio quem quer que seja a mostrar que isso corre ou, ao menos, como poderia teoricamente ocorrer.
    e) As culturas transgênicas podem acabar resultando na produção de novas pragas. Toda tecnologia que combate uma praga pode resultar no aparecimento de novas pragas. Isso é tão antigo como a agricultura e nada tem a ver especificamente com os transgênicos.
    f) Alguns micro-organismos e insetos que são necessários no equilíbrio da natureza podem acabar desaparecendo. Aqui também desafio o articulista a mostrar que uma espécie de inseto está desaparecendo por ação direta dos transgênicos. Não vale apelar pro fabulário sobre a morte de abelhas, nem prá velha história da borboleta monarca, que isso já é folha descartada do calendário.
    g) Pode acabar contaminando os lençóis freáticos e o solo porque se intensifica o uso de agrotóxicos. Onde estão os números que mostram que há um aumento do uso de agrotóxicos? Pelo menos no caso de inseticidas, houve uma redução enorme!!!
    h) As plantas e os animais podem acabar com o organismo com maior resistência a agrotóxicos e antibióticos. Já comentei sobre as pragas, no contexto agrícola, e já descartei a história dos antibióticos. Deste item não sobra mais nada.
    Para finalizar: o artigo é muito mal alicerçado na ciência e usa e abusa dos medos espalhados pelos sites e blogs na internet. Na minha leitura, pouco acrescenta à discussão, mas tem uma vantagem: não foi copiado e colado e merece, portanto, a nossa admiração.

    Paulo Andrade 23 de março de 2014 1:27
  • De fato concordo com alguns pontos, mas acho estranho ninguém ter mencionado a produção de suco Ades, por exemplo.

    http://pt.wikipedia.org/wiki/AdeS

    Bruno Marugan 28 de abril de 2014 12:59

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *