Cultivo e Conservação do Solo: Características Gerais

Especialistas indicam que para qualquer tipo de cultivo existe necessidade de também conservar o solo para que novas produções sejam produzidas. Ou seja, a conservação consiste na prática de usar a terra de forma sustentável. Quando não há controle correto para conservar e tratar pode acontecer dificuldades para o replantio ou novas investidas em culturas diferentes. Por causa do aumento da demanda mundial os donos dos meios de produção rural aumentam o ritmo e defendem o estoque ao usar produtos tóxicos.

Imagem de Amostra do You Tube

Quais Principais Problemas de Cultivo e Conservação do Solo?        

Erosão: Representa problema pontual e que acontece de forma prática nas produções que visam colocar agrotóxicos, pesticida e outras formas tóxicas que servem para aumentar os níveis produtivos, satisfazer a grande demanda de mercado e assegurar a vitalidade das culturas até o período da colheita. Como o alto nível tóxico entra na terra e chega aos lençóis freáticos o esquema natural que distribui a água fica comprometido, o que aumenta as chances de danos erosivos.

Compactação: Acontece de forma pontual nas atividades que acontecem de forma intensiva. Com o frequente movimento de trabalhadores e máquinas aos poucos o solo perde o poder de porosidade. Por causa do aumento de produtores que desistem de plantar para investir no gado também existem chances de aumentar o problema que compacta a estrutura da terra por causa do pisoteio das espécies. A problemática traz problemas em principal na infraestrutura para fazer crescer as raízes.

Salinidade: Com a falta de água o solo aumenta o nível de salinidade e prejudica as futuras culturas a serem plantadas. Locais próximos dos níveis da desertificação precisam de sistema que visa irrigar com melhor qualidade, visto que o clima quente e a falta de chuva são dois problemas pontuais em certas regiões, tais como o semiárido presente em climas nordestinos do Brasil, por exemplo.

Técnicas Inadequadas de Manejo: Cultivo e Conservação do Solo

Ao que tange os três problemas citados acima se pode dizer que são gerados em grosso modo por causa das técnicas de manejo empregadas com pouco preparo técnico e nenhuma forma de segurança de acordo com o que estabelece os conjuntos de leis ambientais brasileiras que explicam os procedimentos adequados para explorar e conservar o solo. Com o aumento da degradação de processos agrícolas o futuro do ciclo de alimentos do mundo sofre chances de entrar no processo de escassez.

Também existe o efeito dominó! Quando um produtor não se preocupa com a terra existem chances dos lençóis freáticos dos terrenos vizinhos sentirem problemas para receber H2O e se desenvolver. Por esse motivo, cultivar e conservar o solo também representa ponto a ser feito para o bem comum, em especial do grupo de produtores que produz de forma próxima entre si.

Especialistas atentam ao público em geral que o perigo não está apenas na fazenda de um proprietário como também pode ser fonte central para profundo desequilíbrio ambiental que chega ao ponto de modificar os habitats nos ciclos naturais de vida animal e vegetal.

Cultivo e Conservação do Solo: Aumento de Demanda por Alimentos

O aumento da demanda por alimentos do mundo também representa ponto que favorece na degradação do solo. Para satisfazer as procuras de mercado os produtores precisam trabalhar de forma rápida e sob a ótica quantitativa para fazer a venda e poder manter o negócio. Estatísticas apontam valor superior a um bilhão de hectares de terra que se destinam a produzir culturas agrícolas. Menos de 10% da água viável ao consumo há no mundo, 90% do valor serve para nutrir a agricultura para alimentar seres-humanos.

De Ontem para Hoje: Cultivo e Conservação do Solo

Em tempos da antiguidade os povos não se preocupavam em conservar o solo para as futuras plantações. Porém, o valor de hectares ocupados no mundo para esse tipo de produção era menor, ao passo que também não existiam tóxicos que servem para proteger e fazer desenvolver o conjunto de forma rápida, antes das enchentes de grandes rios. Nos dias atuais parte das zonas agrícolas também não tem o preparo necessário. Quando não existem cuidados necessários aumentam as chances da zona se tornar desértica.

Como o futuro da produção se prejudica e inviabiliza o poder da terra, os produtores investem em técnicas que servem para diminuir os efeitos que degradam o solo. Governo também estimula menor uso com programas que fornecem subsídios aos participantes que podem ter inclusive com menores taxas de juros e maiores prazos a pagar os financiamentos.

Formas de Planejar Cultivo e Conservar o Solo

Produtores experientes possuem o costume de contratar os serviços de técnicos que são especializados em planejar a estrutura do plantio antes de colocar as sementes (semear) e iniciar o processo produtivo. Há necessidade de resolver todos os problemas que acontecem no caminho e não apenas nas pequenas partes e aos poucos. Qualquer detalhe traz diferencial positivo ou negativo às zonas agrícolas.

Durante o processo o serviço que analisa precisa identificar também quais os custos-benefícios em termos econômicos aos donos da terra. Isso porque quando acontece o fracasso no ritmo produtivo existe a tendência de abandonar as coberturas vegetais ou de colocar fogo de forma ilegal, aumentando os gases tóxicos à atmosfera que sobrecarregada não consegue fazer com que o calor siga ao espaço sideral, o que provoca aumento do efeito estufa.

Problemas no Mundo Moderno: Cultivo e Conservação do Solo

Especialistas indicam que a alimentação do mundo representou um destaque a se considerar no sentido de combater a fome depois que a produção em massa se viabilizou por causa do conjunto de química que ajuda a manter o desenvolvimento sem o ataque de pragas ou outros tipos de fenômenos que podem colocar em cheque a evolução do plantio.

A erosão do solo representa problema pontual da modernidade e que acontece de forma prática nas produções que visam colocar agrotóxicos, pesticidas e outras formas tóxicas que servem para aumentar os níveis produtivos, satisfazer a grande demanda de mercado e assegurar a vitalidade das culturas até o período da colheita.

Artigo Escrito por Renato Duarte Plantier

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>