Desmatamento Seletivo: Derrubada Programada

O Que É Desmatamento Seletivo?

O desmatamento seletivo também pode ser chamado de corte seletivo ou remoção parcial de floresta primária. Basicamente essa prática consiste em cortar algumas árvores deixando as demais da área intactas. Esse tipo de desmatamento se apresenta como uma alternativa para conseguir manter parte das árvores.

Desmatamento

Desmatamento

A exploração seletiva de madeira é uma das práticas que fazem parte desse tipo de desmatamento. O principal bioma do mundo que podemos citar como exemplo de área em que acontece o desmatamento seletivo é a Amazônia. O objetivo é que a floresta sofra um impacto menor da extração de árvores e assim o desmatamento não destrua por completo a área.

O principal diferencial do desmatamento seletivo é que ele trabalha com a derrubada de árvores programada, ou seja, existe um planejamento que visa evitar que a floresta fique sem árvores numa determinada região. Ao passo que se derrubam duas árvores outras ficam intactas para não descaracterizar a região.

O Desmatamento Seletivo na Amazônia

Já faz algum tempo que a Amazônia conta com desmatamento seletivo, porém, pesquisas apontam que o sistema pode não estar funcionando como deveria. Cálculos de pesquisadores demonstram que algumas regiões que tem derrubada de árvores programadas não estão sendo preservadas como deveriam.

O pesquisador norte-americano Gregory Asner e colaboradores perceberam que das áreas destinadas ao desmatamento seletivo entre os anos de 1999 e 2004 cerca de 32% foram arrasadas e desapareceram. O estudo concluiu que as áreas destinadas ao corte seletivo foram desmatadas numa velocidade de 16% somente no primeiro ano.

Nos três anos que vieram em seguida houve um desmatamento de 5,4 %, muito acima do esperado para uma área de desmatamento seletivo. Esse estudo foi publicado pela revista Proceedings of the National Academy of Sciences (Pnas), primeiramente na versão online e posteriormente na versão impressa.

Corte Seletivo de Hoje – Desmatamento de Amanhã

Os cientistas envolvidos no estudo destacaram que as áreas destinadas ao desmatamento seletivo ficam na mesma região que áreas que já são reconhecidas como alvo de desmatamento ilegal. Isso acontece porque para chegar ao meio da floresta é necessário passar pelas mesmas rodovias das regiões de derrubada programada.

Porém, isso não altera a realidade de que o corte seletivo que é feito hoje pode facilmente se tornar o desmatamento de amanhã. Quando os fatores de desmatamento convencionais são somados aos de derrubada programada o resultado pode ser o surgimento de uma verdadeira zona de destruição dentro da Amazônia.

A Ligação do Corte Seletivo e do Desmatamento Ilegal

Para que fique mais clara a situação é importante compreender qual é a real ligação entre o corte seletivo, o desmatamento ilegal e a construção de rodovias que se dá no local. A primeira coisa a se saber é que as estradas são a principal maneira de ter acesso a floresta.

O estudo realizado por Asner e seus pesquisadores utilizou imagens de alta resolução de satélites da floresta Amazônica. Através dessas imagens foi possível fazer um mapa mais preciso da ligação entre o corte seletivo, a construção das estradas e o desmatamento.

No período observado pelo estudo foram derrubados um total de 17 mil km de matas todos os anos. Essa derrubada aconteceu num perímetro de 5 km de rodovia e o mais curioso é que as taxas de desmatamento e corte seletivo tiveram os mesmos índices. A questão mais importante abordada pelo estudo é que entre 5 e 25 km as zonas de corte seletivo sofreram mais com o desmatamento ilegal do que as áreas de floresta que estavam intactas.

Monitoramento

Uma forma de tentar reverter os índices preocupantes de desmatamento ilegal nas áreas de corte seletivo é o aumento do monitoramento nessas regiões, atitude tomado pelo Governo Federal Brasileiro. Esse trabalho é realizado pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) e visa coibir o aumento do desmatamento ilegal e ter certeza que as áreas estão sendo mesmo utilizadas para corte seletivo.

Monitoramento

Monitoramento

Corte Seletivo Pode Ser Um Problema?

A partir do momento que o corte seletivo é utilizado como uma forma de disfarçar o desmatamento ilegal passa a ser um problema. Grande parte da floresta não pode ser desmatada, porém, muitas empresas madeireiras resolvem cortar mais árvores do que é permitido.

Para que esse corte passe despercebido essas empresas usam a técnica de corte seletivo deixando árvores intactas perto de onde extraíram madeira ilegalmente. O objetivo disso é um só, esconder que estão derrubando árvores em áreas proibidas. O Governo brasileiro tem investido na criação de monitoramento para coibir essas ações, mas é necessário mais empenho por parte dos governos estaduais.

Imagem de Amostra do You Tube

Crime Ambiental

O corte seletivo sem autorização e fora das regiões permitidas é um crime ambiental, porém, muitas pessoas ainda praticam esse crime pela sensação de impunidade uma vez que é difícil detectar a prática e identificar os culpados. Estatísticas demonstram que o desmatamento na Amazônia vem sendo reduzido, porém, ainda não é o suficiente para passar tranquilidade para os ambientalistas.

Estamos num momento em que o contingente de funcionários trabalhando na fiscalização do desmatamento é bastante grande. Os recursos tecnológicos também ajudam nessa tarefa de observar a grande floresta. Embora atitudes tenham sido tomadas para cuidar melhor dos recursos e da floresta ainda é muito difícil manter uma fiscalização efetiva.

Imagem de Amostra do You Tube

Áreas Embargadas

Outro problema que o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) enfrenta na defesa da floresta amazônica é que muitas pessoas driblam a lei e começam a plantar em áreas que foram embargadas para recuperação de área degradada e cujo plantio é proibido.

As pessoas que plantam em área embargada apostam na impunidade. No Código Florestal consta que quem desmatou até 2008 poderá regularizar a sua situação, porém, depois de 2008 deverá pagar uma multa. As pessoas devem estar cientes disso para compreender que não se trata mais de uma situação passível verdadeiramente de impunidade.

O Desmatamento

O desmatamento faz parte da realidade da floresta e mesmo que todos os dias novas formas de combater o problema surjam ainda existem muitos focos de derrubada ilegal. Para que o desmatamento realmente possa ser combatido como merece é necessário que existam mais olhos e mais recursos tomando conta da floresta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>