Ciclagem de Nutrientes: Características Gerais

Um ciclo de nutrientes (ou reciclagem ecológica) é o movimento e a troca de orgânica e inorgânica de volta para a questão da produção da matéria viva. O processo é regulado por alimentos que decompõem a matéria em nutrientes minerais. Ciclos de nutrientes ocorrem dentro dos ecossistemas – sistemas interligados, cuja matéria e os fluxos de energia são trocados como organismos de alimentação.

Nutrientes e Minerais na Natureza

Minerais e nutrientes se acumulam em densidades variadas e configurações irregulares em todo o planeta. Ecossistemas reciclam para converter os nutrientes minerais no sentido de produzirem biomassa. Em escala de pensamento participa do sistema global de entradas e saídas, no qual a matéria é trocada e transportada através dos biogeoquímicos.

Saiba Mais

Saiba Mais

O material particulado é reciclado pela biodiversidade que habita os detritos nos solos e nas colunas de água. Considerando que os ciclos biogeoquímicos globais descrevem o movimento natural, e troca todo o tipo de material particulado pelos componentes vivos da Terra, a ciclagem de nutrientes refere-se à biodiversidade no âmbito de sistemas comunitários da cadeia alimentar que os nutrientes orgânicos e o laço de abastecimento de água trazem de volta para a produção do ecossistema.

Ciclos de Nutrientes e Biogeoquímicos

A energia solar flui através dos ecossistemas ao longo de vias unidirecionais e não cíclicas, enquanto que o movimento de nutrientes minerais é cíclico. Ciclos minerais incluem: Carbono, enxofre, nitrogênio, ciclo da água, ciclo do fósforo e ciclo do oxigênio. Ciclos biogeoquímicos globais são produtos da soma de reciclagem ecológica regulada de terras e dos nutrientes minerais que se formam de maneira sustentável nas teias alimentares e partículas que se deslocam a partir de uma geração para a próxima.

A ciclagem de nutrientes é o sistema de reciclagem da natureza. Todas as formas de reciclagem usam energia no processo para colocar os recursos materiais novamente em uso. Reciclagem em ecologia é regulada, em grande medida, pelo processo de decomposição natural.

Ecossistemas empregam biodiversidade na teia alimentar para reciclar materiais naturais, tais como os nutrientes minerais. Reciclagem em sistemas naturais simboliza um dos muitos serviços feitos por ecossistemas para sustentar e contribuir para o bem-estar das sociedades humanas.

Ciclagem Biogeoquímica e Ciclo de Nutrientes

Há sobreposição entre os termos “ciclo biogeoquímico” e “ciclo de nutrientes”. A maioria dos livros integra ambos como sinônimos. No entanto, os termos podem acontecer de maneira independente. O “ciclo de nutrientes” é usado em referência direta à ideia da circulação na qual as funções do ecossistema funcionam como uma unidade.

Cientistas consideram a biosfera como a rede de reciclagem contínua de materiais e informações relacionadas com os ciclos alternados de convergência e divergência. Os materiais convergem ou tornam-se mais concentrados, ganhando em qualidade, aumentando os métodos potenciais de conduzir o trabalho e sendo útil na proporção das concentrações relativas ao meio ambiente.

Imagem de Amostra do You Tube

Nicholas Georgescu-Roegen: Quarta Lei da Entropia

Cento por cento do material de desperdício pode ser reconstituído por tempo indeterminado. Sistemas ecológicos e geológicos demonstram que todos os produtos químicos, elementos e outras substâncias orgânicas podem ser acumulados pelos sistemas vivos.

No entanto, outras vozes, com a de Nicholas Georgescu-Roegen, dizem que a reciclagem completa na realidade é quase impossível, propondo assim uma quarta lei de entropia. Apesar de extensas pesquisas de Georgescu-Roegen, a quarta lei foi rejeitada em conformidade com as observações da reciclagem ecológica por grande parte da academia mundial.

Diferença da Ciclagem dos Ecossistemas

Ecossistemas executam a reciclagem em circuito fechado no qual a demanda por nutrientes que adicionam ao crescimento da biomassa supera a oferta existente dentro do sistema. Não se pode ignorar o fato de que há diferenças regionais e espaciais nas taxas de crescimento e troca de materiais, onde alguns ecossistemas podem estar em dívida de nutrientes, ao passo que outros possuem fornecimento extra. Estas diferenças se relacionam com clima, topografia e história geológica.

Em termos de rede da alimentação, o ciclo é definido como sequência dirigida de uma ou mais ligações a partir de uma ou mais espécies. Exemplo está na teia alimentar microbiana no oceano, onde as bactérias são exploradas e controladas, por protozoários.

Uma grande fração dos elementos compostos na matéria viva reside em qualquer instante de tempo do bioma mundial. Embora o conjunto dos elementos terrestre esteja limitado, as taxas de troca entre os diferentes componentes da biota são extremamente rápidas em relação ao tempo geológico. Interessante notar que a maior parte do mesmo material é incorporada mais de uma vez em diferentes formas biológicas. Esta observação origina a ideia de que, em média, a matéria (e algumas quantidades de energia) está envolvida em ciclos.

Um exemplo de reciclagem ecológica ocorre na enzimática digestão da celulose, um dos compostos orgânicos mais abundantes na Terra. Enzimas de degradação participam do processo natural de reciclagem ecológica do material vegetal.

Do maior para o menor das criaturas, os nutrientes são reciclados por seu movimento, pelos seus resíduos e por suas atividades metabólicas. Baleias podem mergulhar por longas profundidades no sentido de se alimentarem com os peixes. A bomba de baleia aumenta o crescimento e a produtividade em outras partes do ecossistema.

Ciclagem

Ciclagem

Reciclagem ecológica é comum na agricultura biológica, onde a gestão de nutrientes é fundamentalmente diferente em relação ao agronegócio, principalmente com os estilos de manejo do solo. O estudo está relacionado com os seguintes pontos:

01: Proteção da biodiversidade;

02: Uso de energia renovável;

03: Reciclagem de nutrientes para as plantas;

04: Engenharia de Ecossistemas.

O legado persistente dos resíduos ambientais deixados para trás por ou como uma extensão das ações ecológicas de organismos é conhecido como a construção de nicho ou engenharia do ecossistema. Muitas espécies deixam um efeito mesmo após a sua morte, como esqueletos de coral, por exemplo, ou as modificações de habitat extensivos feitas em zona húmida por um castor, cujos componentes são reciclados e reutilizados por descendentes e outras espécies que vivem sob um regime seletivo através dos efeitos legados.

Engenheiros do ecossistema podem influenciar as taxas de eficiência de reciclagem de nutrientes através de suas ações. A ciclagem de nutrientes tem base histórica nos escritos de Charles Darwin, em referência às ações de decomposição de minhocas.

Artigo escrito por Renato Duarte Plantier

Imagem de Amostra do You Tube

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>