Reciclagem de Veículos – Reaproveitamento Ecológico

O mundo passa por um momento delicado no que diz respeito a produção de lixo e a capacidade de reciclar esses resíduos. Encontrar soluções que contribuam para reduzir o volume de lixo produzido é um desafio que precisa ser vencido. Uma ideia interessante que mostra que podemos reaproveitar mais do que imaginamos de início é a reciclagem de veículos. Países como Estados Unidos e da Europa vem aplicando essa ideia e já conta com uma taxa de 95% de veículos reciclados.

O Brasil já trabalha com esse tipo de reciclagem também, entretanto, numa escala bem menor, algo em torno de 1,5%. É possível reaproveitar quase todas as peças de um automóvel e em torno de 68% da carcaça de um carro pode ser reaproveitada como material para um veículo novo. O pára-brisa pode ser transformado em garrafas e os pneus ainda podem ser utilizados para pavimentar as ruas.

Reciclagem de Veículos – Um Caminho Mais do que Possível

O Brasil tem algo em torno de 10 milhões de veículos aptos a passar por uma reciclagem. Com essa estimativa temos algo em torno de 5 milhões de toneladas de sucata ferrosa que é o material encontrado em maior quantidade em um carro. Essa sucata se transforma em aço que pode ser muitas vezes reciclado.

Para se ter uma ideia, atualmente, cerca de 70% do aço encontrado nos carros vem da sucata ferrosa. Quanto mais crescer a reciclagem mais esse número poderá aumentar e assim além de resolver a questão do que fazer com os veículos que perdem a sua utilidade também tornaremos o processo produtivo mais ecológico.

Regulamentação

Apesar de o Brasil não ter ainda uma regulamentação a respeito da reciclagem de veículos ela já é uma realidade para algumas fábricas. Alguns carros fabricados no Brasil já tem cerca de 85% de materiais reaproveitados pela reciclagem. Um exemplo disso é o EcoSport que já conta com 85% dos seus componentes provenientes de reciclagem. O teto e o porta-objetos desse carro é revestido de fibras naturais de juta.

A Europa já possui regulamentação quanto a reciclagem e tem como exigência que até 2015 cerca de 95% de um carro seja feito de materiais reutilizados. No Japão o prazo é o mesmo para que os carros tenham 70% de materiais reaproveitados. As fábricas já estão trabalhando em busca de soluções para essa questão.

O Trabalho na Prática nas Empresas

A Nissan, montadora japonesa, já trabalha com 70% do seu material das linhas de montagem vindo da reciclagem. Um exemplo disso são as rodas de alumínio que são utilizadas nos itens da suspensão. Além disso, a empresa ainda tem investido na melhoria da desmontagem dos modelos para tornar mais fácil o reaproveitamento.

O pensamento que imperava antes na empresa era projetar para montar, hoje já passou a ser projetar para desmontar. A Volvo é outra fabricante que tem realizado um trabalho semelhante, cerca de 95% dos materiais são reaproveitáveis como o plástico de protetor de bateria, por exemplo. Ainda existe o cuidado de dar fim a substâncias nocivas como cádmio, chumbo e mercúrio.

Solução Ecológica e Econômica

A reciclagem de veículos é uma solução bastante ecológica e também pode ser bastante econômico. O plástico reciclado, por exemplo, chega a custar até 40% menos que a resina virgem. Nos Estados Unidos a indústria de reciclagem de veículos chega a faturar 25 bilhões de dólares todo ano.

Entretanto, o Brasil ainda tem apenas leis estaduais como uma portaria que foi publicada pelo Detran do Rio Grande do Sul e o projeto que foi batizado de “Pátio Legal” em São Paulo. O objetivo dos dois projetos é deixar os pátios vazios, já existe um estudo para a criação de leis a nível federal para essa questão. Um dos objetivos é criar um centro de desmontagem para dar destino às recicladoras.

Metal

Um dos principais componentes de um carro é também um material precioso para a reciclagem. O primeiro passo é que a carroceria passe por um processo de descontaminação e em seguida é moída de forma a se tornar pedaços pequenos. Com um imã é feita a separação do metal de outros materiais como o plástico.

Depois de tudo isso se chega a sucata ferrosa que tem preço médio de R$ 450,00 por tonelada. Essa sucata é transformada em aço e depois utilizado na carroceria e parte interna de um novo carro.

Plástico

Um carro tem cerca de 50 tipos de plástico diferentes sendo que cerca de 10% do seu peso total é desse material. Antes que o carro seja moído as partes de plástico como pára-choques e painéis são removidas e depois são fragmentadas em pequenas partes.

Esses pedaços passam por uma compactação e adquirem a forma de espaguetes, vão então para uma guilhotina que os transforma em grãos de plástico. O plástico reciclado perde um pouco das suas propriedades e se transforma em componente para parte interna do veículo.

Vidro

Os vidros representam cerca de 3% de um carro, esses vidros são mais recicláveis que outros tipos porque não estilhaçam. O material é intensamente triturado de forma a virar um pó fino e então é separada a sua membrana plástica com a ajuda de uma peneira. Como custa muito o vidro reciclado de veículos não volta para essa função, mas esse pó pode ser vendido por cerca de R$ 170,00 a tonelada e usado para fazer garrafas.

Pneus

Representando cerca de 3% do peso de um veículo os pneus saíram da condição de vilões do meio ambiente para item mais reciclado do país. As fábricas de pneus são obrigadas a reutilizá-los. O processo começa com o trituramento que transforma os pneus em grãos. Em seguida com imã são retirados os fios de aço e o restante é refinado e se transforma num pó que pode ser vendido para várias indústrias.

Fluido – Legalizado

Um dos poucos itens de um carro que já são regulamentados por lei que devem ser reaproveitados é o óleo. Para isso esse óleo passa por uma descontaminação e passa a ser um óleo mineral básico que ainda passa pelo acréscimo de aditivos.

Reciclagem da Bateria

A bateria também deve ser reciclada, para isso é necessário que o chumbo-ácido que ela possui seja reutilizado. As baterias de reposição são feitas de 80% de material reciclado.

Reciclando o Máximo Possível

Os materiais que citamos acima representam cerca de 95% do peso de um carro, o restante (5%) é de peças elétricas e mecânicas, tecidos, borrachas e espumas. Dessa forma um veículo tem grande potencial para o reaproveitamento de materiais. Tudo depende da boa vontade do mercado automotivo e do governo que precisa criar leis que façam a regulamentação.

Gostou? Curta e Compartilhe!

Categoria(s) do artigo:
Reciclagem

Artigos Relacionados


Artigos populares

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *