Relação Entre Atmosfera e Gravidade

A Atmosfera e a Gravidade

Podemos definir a atmosfera como sendo um conjunto de gases que tem a função de envolver a Terra. A atmosfera da Terra é formada por 78% de hidrogênio, 21% de oxigênio e outros elementos em quantidades menores que são atraídos para o planeta devido a sua gravidade.

A atmosfera da Terra está a uma altitude de aproximadamente 1.000 km, contudo 80% da sua massa fluida estão concentrada a 5 km acima da superfície da Terra. A gravidade que existe na superfície do planeta sofre influência da pressão que o ar exerce devido ao seu peso. É possível que isso aconteça de forma variada, tudo depende do ponto e do momento além de outras circunstâncias que podem influenciar.

As áreas que tem altitudes maiores podem ter pressão menor e por isso o ar é rarefeito. Devido a isso pessoas que fazem escaladas em montanhas como o Everest que fica no Himalaia e possui 8.848 metros de altitude devem carregar aparelhos com oxigênio.

A Pressão Atmosférica

As camadas da atmosfera são formadas por moléculas que criam algo que lembra um cobertor em volta do planeta. Essas moléculas são atraídas pela gravidade da Terra, ou seja, é essa força que faz com que exista uma atmosfera em volta do planeta. Uma coisa interessante de observar é que a força da gravidade varia e que quanto mais longe as moléculas estão da Terra menor é a força da gravidade que as atrai.

Sendo assim quanto mais perto as moléculas estão da Terra maior é a atração que elas sentem. A relação que existe entre a atmosfera e a gravidade é que a primeira é formada pelas moléculas que a última atrai para a superfície do planeta. A força da gravidade é a responsável pela variação da pressão atmosférica de acordo com a altitude.

Como Acontece a Mudança da Pressão Atmosférica Pela Altitude

Como já explicamos a pressão atmosférica tem relação com a força da gravidade. A origem da gravidade é o centro da Terra e é responsável por atrair tudo o que está no planeta incluindo a atmosfera que consiste numa camada formada por gases que estão em torno da crosta da Terra.

O que está mais perto da superfície da Terra conta uma força maior. Nas altitudes mais elevadas a força da gravidade é menos intensa de forma que as moléculas do ar ficam mais distantes umas das outras. Quanto mais alto se está mais rarefeito é o ar porque as moléculas estão mais espaçadas.

As altitudes mais próximas da superfície tem uma força da gravidade mais intensa o que faz com que as moléculas fiquem condensadas. Assim quanto mais perto você estiver do nível do mar e do centro da Terra maior será a pressão da atmosfera.

Você já deve ter assistido a um jogo de futebol em que uma equipe brasileira foi a um país como o Peru, por exemplo, e no qual foi dito que os jogadores teriam mais dificuldade para correr devido a falta de ar que sentem em altitudes elevadas. A relação entre a atmosfera e a gravidade é realmente algo muito interessante.

Outros Elementos Que Influenciam a Pressão Atmosférica

Apesar de ter um papel bem importante a gravidade não é o único elemento que tem influência na variação da pressão atmosférica. A temperatura também tem uma função importante nessa variação. Confira informações referentes a pressão atmosférica que em geral se mede por milibares:

  • Pressão normal (ao nível do mar) – 1 013,2 mb
  • Pressão aos 1 800 m – 800 mb
  • Pressão aos 6 000 m – 500 mb
  • Inverno, centro de altas pressões – 1 030 mb
  • Ciclone tropical, centro de baixas pressões – 980 mb

Através desses dados você poderá entender melhor a relação entre atmosfera e gravidade.

Como Se Formou a Atmosfera da Terra?

O processo de formação da atmosfera durou pelo menos 4 bilhões de anos. Uma coisa curiosa a respeito desse processo é pensar que a atmosfera do planeta se formou a partir da mesma matéria do chão em que a gente pisa. Isso porque os gases que formam o ar já estiveram concentrados debaixo da Terra, eles ficavam grudados em rochas.

Os vulcões além de expelir lava e compostos tóxicos também lançavam esses elementos. Assim uma erupção vinha cheia de vapor d’água, nitrogênio e dióxido de carbono. Quando o dióxido de carbono é encontrado em excesso pode matar, mas naquele momento de formação da atmosfera era muito bem-vindo como o alimento para os primeiros organismos com vida no planeta.

As bactérias que realizavam fotossíntese faziam uso do dióxido de carbono, água e luz para produzir a sua energia. O principal resíduo resultante dessa atividade é o gás mais importante para a vida humana, o nosso precioso oxigênio. Em suma o coco produzido pelas bactérias do começo da formação da atmosfera foi muito importante para que seres complexos como os humanos surgissem.

Como se Formou o Ar Respirável

O processo de formação de um ar respirável não aconteceu do dia para a noite. Na fase dessa atmosfera primordial a crosta da Terra estava repleta de elementos que eram capazes de suga oxigênio como compostos de ferro e enxofre. Assim foi necessário esperar 2 bilhões de anos até que esses elementos estivessem saturados para que o gás pudesse se concentrar no ar.

Atualmente o oxigênio ocupa cerca de 21% da atmosfera e o nitrogênio está presente em 78% do ar. A concentração de dióxido de carbono foi reduzida devido a processos como os de fotossíntese e do solo. Atualmente, o dióxido de carbono compõem apenas 1% do restante da atmosfera ao lado de outros inúmeros gases.

O fato de ter pouco dióxido de carbono na Terra é importante, pois senão o planeta seria inabitável como Vênus, por exemplo, em que esse gás retém os raios do sol o que gera um calor de 400°C. Vale ressaltar que na verdade a Terra e Vênus têm a mesma quantidade de dióxido de carbono a diferença está no fato de que no último o gás fica todo concentrado na atmosfera. Na Terra o gás se encontra dissolvido no subsolo e também no corpo dos seres vivos.

Gostou? Curta e Compartilhe!

Categoria(s) do artigo:
Noticias

Artigos Relacionados


Artigos populares

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *