Como Surge Uma Ilha

Você já parou para pensar como se forma uma ilha? Na verdade não existe uma única maneira para que isso aconteça. Uma ilha pode ser formada de mais de uma forma, podemos dizer que depende do tipo. Por exemplo, existem as ilhas que são chamadas de vulcânicas, essas, aparecem depois do acúmulo de lava. Enquanto se falarmos de lhas continentais podemos dizer que elas são formadas através do acúmulo de sedimentos ou mesmo pela erosão do solo.

Esses são casos mais comuns, mas algumas ilhas surgem de uma forma, digamos, menos comuns, como por exemplo, os chamados atóis. Neste caso, a formação é feita quando as rochas submersas vão ficando cheias de recifes de coral que vão aos poucos se fixando nelas. Aquelas que são as consideradas mais comuns são as que aprendemos na escola com a definição de que “ilha é um pedaço de terra cercado de água por todos os lados”. Não é um conceito que podemos dizer que está 100% correto, mas, nem que está completamente errado. Na verdade, existe sim, partes de terras que são cercadas por lagos e rios, mas nem sempre, são chamadas de ilhas.

Como são Formadas as Ilhas Através da Ação dos Vulcões

A lava dos vulcões que se formam na parte subterrânea pode formar de várias formas uma ilha.

  • A vulcânica tradicional: o vulcão é formado por que no fundo do mar existem vários pontos quentes, nestes lugares, o magma do interior da Terra pressiona a superfície. Porém, quando esses vulcões estão em solo marítimo e sofrem essa pressão, isto é, entram em erupção, as lavas saem e se acumulam passando a linha da água e dali se forma a ilha.
  • A vulcânica montanhosa: pode acontecer que as magma procure “saídas” entre as placas tectônicas e conforme ele consegue sair, vai formando aos poucos cadeias montanhosas submarinas. Elas por sua vez crescem até que formam ilhas. O nome correto dessas cadeias submarinas é dorsais meso oceânicas. Normalmente, elas formam poucas ilhas e podemos citar como a mais conhecida: Islândia.
  • A vulcânica de choque: outro tipo de ilha formada em consequência da erupção de vulcões. Neste caso, as placas no fundo do mar se chocam fazendo com que uma fique em cima da outra. Essa formação é chamada de zona de subdução. Aquela placa que fica embaixo força a lava para fora. Esse processo faz com que surjam os vulcões e que eles formem ilhas. Esse movimento chamado de subdução é constante e nestes lugares, além dos vulcões, tsunamis e terremotos são muito comuns. É exatamente por isso, que o Japão sofre com esses fenômenos naturais constantemente, porque foi formado exatamente daquela forma.

Como as Ilhas são Formadas em Terra Firme

Agora que você já viu como as ilhas são formadas por causa dos vulcões, veja o processo dentro do continente.

  • Mar: tudo tem início quando uma parte da terra do litoral de um continente passa por uma erosão, essa por sua vez é consequência de correntes marítimas que existem naquele determinado lugar. Com isso, o desgaste do solo é inevitável e depois de um tempo se abre um grande buraco porque uma parte da terra fica distante da outra, ressaltando que no fundo do mar elas ainda estão ligadas.
  • Água Doce: no caso dos lagos e dos rios tudo acontece por conta do acúmulo de resíduos, que pode ser areia ou terra e isso vai criando aquele monte, que vai aumentando até que passa a linha da água. Um exemplo desse tipo de formação de ilha no Brasil fica em Tocantis, a Ilha do Bananal.

Ilha Formada em Dezembro de 2013

Uma ilha em dezembro de 2013 apareceu no mar Arábico. A formação surgiu depois de um forte terremoto que atingiu o sudoeste do Paquistão. A ilha ficou bem distante do epicentro do fenômeno o que fez com que não só a população local, mas cientistas, ficassem intrigados.

O terremoto que atingiu a região chegou foi registrado com magnitude 7,8 da Escala Richter e deixou não só 450 pessoas feridas, mas 328 mortos. Segundo as autoridades daquele país, foi o terremoto que mais deixou vítimas fatais no país da última década. Os habitantes descreviam como uma coisa muito grande que teria surgido do mar e fez um grande estrago.

E logo a seguir, do terremoto que fez tantas vítimas, a população daquela cidade, Gwadar, constatou que na costa, mais ou menos a 600 metros,  tinha surgido um extensão de terra muito grande e que chegava a altura de 20 metros. Além disso, tinha 100 metros de largura e 40 metros de comprimento, segundo foi revelado na época do ocorrido. Para os habitantes, no início, chegava a ser assustador, observar do nada uma ilha surgir.

Detalhes da Nova Ilha Paquistanesa

Além de deixar os moradores do lugar curiosos e alguns até mesmo assustados com o que viam, a nova ilha atraiu o olhar de cientistas do mundo todo. Claro, os primeiros a chegarem foram os cientistas paquistaneses, que logo verificaram, que no lugar tinha uma alta concentração de metano, que é um gás inodoro e incolor. Além disso, os cientistas afirmaram que era muito curioso o fato de essa ilha ter surgido tão longe do epicentro do sismo, na verdade, centenas de quilômetros. Porém, não se tratou de um evento inédito. Na mesma região no passado um caso raro e incomum tinha acontecido. Essa foi uma das afirmações de cientistas australianos.

No caso da nova ilha ela foi dita como um “vulcão de lodo”, isto é, matérias que foram pressionadas até a superfície e isso aconteceu com a ajuda da pressão do gás.

Em 2011, um terremoto de magnitude 9,0, que deixou o Japão devastado e provocou um forte tsunami, acabou deslocando a Terra de 17 centímetros. Na prática, significa que houve uma aceleração da Terra de 1,8 micro segundos. E a ilha que é a principal do país acabou se deslocando exatos 2,5 metros, forçada pela força do sisma.

Em 2010 um outro terremoto mexeu com o eixo da Terra, neste caso, de oito centímetros. Foi no Chile em fevereiro daquele ano.

Gostou? Curta e Compartilhe!

Categoria(s) do artigo:
Natureza

Artigos Relacionados


Artigos populares

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *