Classificação Da Capacidade De Uso Do Solo

Saber exatamente o tipo de terreno que temos no quintal de casa é muito importante, principalmente se temos a intenção de começar a cultivar alguma planta em casa. Para conhecer bem a terra, você precisa saber alguns detalhes que facilitam a sua identificação. Poucas pessoas sabem, mas existe uma classificação para a capacidade do uso do solo e sabendo tudo sobre essa classificação, você também saberá se a sua terra é própria para criar determinado vegetal ou fruta.

Mais abaixo vamos conhecer todos esses grupos e como é feita essa classificação. Vamos aprender quais são os grupos, as classes e porque elas estão divididas dessa forma. Sabemos essa parte mais teórica, você estará embasado na hora de escolher um terreno, principalmente se pretende manter algum tipo de cultivo nele. Confira.

Classificação Da Capacidade De Uso Do Solo

Classificação Da Capacidade De Uso Do Solo

O Que é a Classificação Da Capacidade De Uso Do Solo

A classificação da capacidade de uso do solo foi feita para estabelecer um sistema classificatório relacionado a problemas de conservação. Essa classificação vai dizer e existe ou não a necessidade de uma defesa maior ou menor contra os riscos de erosão e drenagem. Esse tipo de classificação não foi feita levando em consideração ou fazendo referência direta ao uso de fertilizantes no solo, mas como sabemos que esse hábito está cada vez mais presente nas plantações, essa classificação também indica, de certa forma, quais os solos que respondem melhor o uso de fertilizantes ou outros aditivos.

O Que é a Classificação Da Capacidade De Uso Do Solo

O Que é a Classificação Da Capacidade De Uso Do Solo

Você vai encontrar 8 classes diferentes para as terras, que são as separações feitas pela classificação da Capacidade de Uso da Terra. Essas classes estão divididas de acordo com as práticas especiais, práticas simples, práticas complexas, impropriedade de cultivos anuais, não adaptação a cultivo de solo curto, mas que servem para pasto, florestas ou como habitat de animais selvagens.

As classes estão dividias em números romanos juntamente com índices que são responsáveis às limitações.

Então vamos ter três grupos classificatórios de acordo com a capacidade de uso, que são: A, B e C, além de 8 grupos relacionados a classes da capacidade de uso que vai de I a VIII. Existem ainda as subclasses, mas essas são assunto para outra conversa.

Vamos então conhecer cada um desses grupos separadamente.

Classificação Da Capacidade De Uso Da Terra – Grupo A

O primeiro grupo, denominado de Grupo A, está classificado definir quais são as terras próprias para lavouras, sejam elas anuais ou perenes. Ele também classifica grupos de terras usados para reflorestamento e vida de animais silvestres.

As Classes Desse Grupo São:

  • Classe I – são terras onde não existem práticas especiais.
  • Classe II – são terras onde existem as práticas simples.
  • Classe III – são terras onde a cultura é feita a partir de práticas intensivas.

Devemos incluir no grupo A as terras que são indicadas para lavouras, porém, apresentam algum tipo de condição limitada ou esporádica. Nesse caso, as terras incluem-se nas seguintes classes:

  • Classe IV – são terras onde existe o uso limitado e práticas intensivas.

Classificação Da Capacidade De Uso Da Terra – Grupo B

O segundo grupo, denominado Grupo B, está classificado para definir quais são as terras mais apropriadas para a prática de pastoreio, reflorestamento e vida de animais silvestres. Essas terras podem ainda serem utilizadas para os três motivos acima citados. Elas dividem-se de acordo com as seguintes classes:

  • Classe V – são terras que não apresentam restrições especiais ou práticas especiais para cultivo.
  • Classe VI – são terras que apresentam algumas restrições moderadas para cultivo.
  • Classe VII – são terras que apresentam severas restrições de uso para cultivo.

Classificação Da Capacidade De Uso Da Terra – Grupo C

O terceiro e último grupo, denominado Grupo C, classifica as terras impróprias para lavouras, pastoreio e silvicultura. Acontece que não são quaisquer impropriedades e sim, somente aquelas que são utilizadas para proteção da flora e da fauna local, também para a recreação ou armazenamento de água que serve para o abastecimento da região.

Esse grupo abrange uma única classe:

  • Classe VIII – são as terras em geral que possui um extremo acidente, que são arenosas, úmidas ou áridas. As terras dessa classe são impróprias para cultivos anuais e perenes, também para apascentamento ou safras florestais, mas elas também podem ter algum tipo de valor como refúgio da fauna silvestre, recreação, entre outros.

Conclusão

Podemos concluir, depois de conhecer um pouco sobre cada classe e suas principais características que elas podem ser classificadas como:

  • CLASSE I – grupo de terra MUITO BOA sob todos os pontos de vistas. Esse grupo compõe terras totalmente planas e que são raramente são lavadas.  Como elas retém água, são bastante providas de nutrientes.
  • CLASSE II – grupo de terra BOA, mas apenas em alguns pontos da região. Essas terras apresentam condições físicas que fazem com que elas entrem em desvantagem para o primeiro grupo como o declive, a incidência de chuva o que as deixa bem úmidas e isso leva o agricultor a praticar constantemente drenagem para melhorar as suas condições de uso.
  • CLASSE III – grupo de terra MODERADAMENTE BOA. Elas são moderadas porque são boas para cultivo como os dois grupos acima, mas precisam passar por um tratamento intensivo para isso. Esses tratamentos podem por fim, acarretar mudanças de suas características ou causar erosão.
  • CLASSE IV – grupo de terras RELATIVAMENTE BOAS. Elas são boas para cultivos ocasionais, ou seja, você pode fazer a cultura nessa terra, mas somente para aquelas regulares, que não são seguidas. Também oferece risco a erosão.
  • CLASSE VI – grupo de terras que não podem ser utilizadas para qualquer cultivo de ciclo curto. O cultivo dessas terras deve ser limitado, para pastagens e florestas.
  • CLASSE VIII – esse grupo de terras é somente destinado à vida selvagem, o que pode também receber a direção para recreação. São terras pedregosas, arenosas e bem molhadas. São grupos como as dunas e pântanos. Todas as terras presentes na classe VIII são, portanto terras que não podem ser utilizadas para cultivo porque não existem condições de florescimento.

Agora que você já conhece todos os tipos de terra, pode começar a escolher com mais cuidado em caso de adquirir terrenos para cultivo.

Gostou? Curta e Compartilhe!

Categoria(s) do artigo:
Recursos Naturais

Artigos Relacionados


Artigos populares

Comentários

  • At last! Someone who untsnsdarde! Thanks for posting!

    Stormy 22 de Março de 2014 12:06

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *