Aves em Extinção no Brasil

Definição de Extinção

A extinção é uma dura realidade para várias espécies da fauna e flora do Brasil e do mundo também. O conceito de extinção para a Biologia e a Ecologia se refere ao desaparecimento de espécies, subespécies ou grupos de espécies. Esse processo de extinção pode durar algum tempo e começa a partir do momento que a população de indivíduos de uma espécie passa a ser muito reduzido para culminar na morte do último espécime.

.

Por isso mesmo é considerado que várias espécies se encontram ameaçadas de extinção, mas somente serão conceituadas como extintas de verdade quando não houver mais nenhum indivíduo. Também é interessante compreender um pouco melhor a escala geográfica da extinção.

A chamada extinção local é aquela em que uma espécie é extinta apenas numa determinada região e não no planeta como um todo. Esse fator é importante para entender a distribuição geográfica das espécies e também os movimentos que essas espécies fazem de acordo com a iminente extinção.

Atualmente, Governos em parceria com o trabalho de vários ambientalistas trabalham na tentativa de reverter a extinção das espécies, pelo menos tentar evitar que a extinção causada pela ação humana continue. As aves incluem espécies que se encontram extremamente ameaçadas de extinção devido à ação do homem.

As Aves e a Extinção

Muitas espécies de aves ou já sumiram completamente do planeta ou então estão em fase de desaparecimento. Esse processo acentuado de extinção acontece geralmente pela beleza das aves, pois diversas espécies são traficadas para posteriormente serem mantidas em cativeiros.

Há também o tráfico que deseja as penas dessas aves que podem ser bastante valiosas. Outros motivos que podem levar a extinção de algumas espécies de aves é a destruição por meio de queimadas e desmatamentos dos ecossistemas em que elas vivem. Se elas não tem mais onde morar e nem mesmo onde buscar alimentos acabam morrendo.

Aves Ameaçadas de Extinção

Anodorhynchus glaucus (Glaucous Macaw)

Arara Azul

Arara Azul

A belíssima Arara Azul pertence a classe das aves e aparece na lista de espécies ameaçadas de extinção com a classificação de grande perigo. No ano de 1994 a Arara Azul foi dada como extinta, porém, depois de alguns anos foram avistados novos espécimes.

Pelo fato de haver pouquíssimos espécimes dessa Arara ela é criada em cativeiro para que seja possível controlar uma renovação na quantidade de animais da espécie. Existem ideias de que sejam feitos financiamentos para que alguns exemplares dessa Arara possam ser devolvidos ao estado selvagem. Porém, ainda sem sucesso.

As populações dessa Arara são consideradas minúsculas uma vez que faltam dados que confirmem a existência de grandes populações desde a década de 60.

Antilophia bokermanni (Araripe Manakin)

Soldadinho do Araripe

Soldadinho do Araripe

O passarinho conhecido como Soldadinho-do-araripe está na lista daqueles que podem ser extintos. Se olharmos a sua classificação na escala de risco de extinção está no mesmo patamar da Arara Azul, ou seja, corre um grande perigo.

Esse passarinho está na lista de aves ameaçadas desde o ano 2000 e infelizmente não conseguiu sair dela. No ano de 2006 foi feito um levantamento que chegou a preocupante soma de apenas cerca de 800 indivíduos, isso contabilizado em dois anos consecutivos de censo.

Calyptura cristata (Kinglet Calyptura)

Essa espécie que é conhecida como Tietê-de-coroa está classificado como uma ave que corre risco de extinção porque a sua pequena população ficou quase 100 anos sem ser registrada porque não era avistada.

Uma espécie bastante forte, pois mesmo enfrentando muitas dificuldades consegue sobreviver e persistir. Para que se tenha uma ideia essa ave vive num habitat que não é o seu habitat natural, uma área bem restrita ao norte de Rio de Janeiro.

Desde o século XIX há rumores da existência do Tietê-de-coroa, porém foi somente no século XX que foram registrados avistamentos desses pássaros. O mais triste dessa situação é que depois de 100 sem ser avistado se houver 50 passarinhos dessa espécie é muito.

Celeus obrieni (Kaempfer’s Woodpecker)

Se você gosta do simpático e malandro personagem do desenho Pica Pau ficará triste em saber que essa é uma das espécies ameaçadas de extinção. O Pica Pau do Parnaíba ficou cerca de 80 anos sem aparecer ele voltou a dar as caras e alguns ambientalistas estimam que se não houver interferência humana drástica é possível que daqui a alguns anos a espécie possa se recuperar e sair da lista de ameaçados.

A população atual do Pica Pau do Parnaíba é bem pequena, mas sempre podemos manter a esperança já que essa ave foi avistada em larga escala em algumas regiões do país. A estimativa que se mantém desde 2007 é que existam entre 50 e 250 indivíduos maduros e aptos à reprodução.

Claravis godefrida (Purple-winged Ground-dove)

A ave conhecida como Pomba-espelho, Pararu-espelho ou somente como Paruru é um exemplo de ave criticamente ameaçada de extinção. Uma espécie bastante rara. Nas últimas décadas não foram feitos muitos levantamentos a cerca dessa espécie e por isso mesmo imagina-se que ainda continua em declínio.

Imagem de Amostra do You Tube

Exatamente pela falta de dados é que essa espécie se encontra na lista das criticamente ameaçadas de extinção. Grande parte dessa situação crítica se deu pela perda do seu habitat natural. Essa ave figura nessa lista desde o ano de 2004.

A população que é estimada dessas aves é de cerca de 250 indivíduos isso com base nos avistamentos que foram realizados nos últimos 20 anos. O dramático é que essas aves não foram avistadas em grupos de mais de indivíduos, sendo que historicamente andavam em grupos de 100 indivíduos.

Columbina cyanopis (Blue-eyed Ground-dove)

As Rolinhas-Brasileiras ou Rolinha-do-Planalto são protegidas por várias leis do Brasil e são protegidas em diversos parques nacionais. A sua ocorrência é quase sempre em lugares como a Serra das Araras.

Imagem de Amostra do You Tube

O perigo de extinção dessa ave se tornou mais concreto devido a grande diminuição do Cerrado e com a constante diminuição desse bioma podemos esperar que a população seja ainda mais reduzida. A estimativa dessa população é de 50 a 249 indivíduos.

Conothraupis mesoleuca (Cone-billed Tanager)

O tiê-bicudo estava considerado extinto até que no de 2004 por acaso foi avistado no Parque Nacional das Emas e também ao longo do Alto Rio Juruena. O mais curioso é que durante a mesma semana os pesquisadores encontraram um macho e uma fêmea dessa espécie. A população dessa ave é estimada entre cerca de 59 a 249 indivíduos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>