Tudo Sobre o Deserto do Saara

O Deserto do Saara – O Segundo Maior Deserto do Mundo

Quando pensamos no conceito de deserto é difícil não pensar diretamente no Deserto do Saara. Apesar de ser o mais popular fica em segundo lugar na lista dos maiores desertos da terra. Muitos não sabem, mas a Antártica é também um deserto e por ser maior que o Saara ocupa a primeira posição do ranking.

Localização

O deserto do Antártica está localizado no Norte da África e possui uma área total de 9 065 000 km². Sua área pode ser comparada com a da Europa com os 10 400 000 km². Esse deserto tem uma área maior do que a área de países continentais como Índia e Brasil.

No deserto do Saara estão compreendidos países e territórios como Chade, Egito, Líbia, Níger, Saara Ocidental, Mali, Argélia, Tunísia, Mauritânia, Sudão e Marrocos. Moram na região do Saara aproximadamente 2,5 milhões de pessoas.

O Nome

O nome Saara é na verdade uma transliteração de uma palavra árabe صحراء. Trata-se da tradução da palavra tuaregue tenere que significa deserto.

A História do Deserto do Saara

É bastante curioso, mas o deserto do Saara já foi um local com densas florestas tropicais e bem mais úmido do que é atualmente, isso em períodos remotos do planeta. Para se ter uma ideia de como essa região era diferente os cientistas descobriram que o Rio Nilo antes corria para o Oceano Atlântico e não desaguava no mar Mediterrâneo como faz hoje em dia.

Essa mudança drástica no clima do Saara pode ser o resultado de uma mudança de poucos graus no eixo de rotação da Terra há aproximadamente 10 mil anos. Os cientistas ainda ressaltam que essas mudanças climáticas contribuíram e muito para formação da civilização egípcia tal como se constituiu.

As pessoas foram obrigadas a desenvolver formas de vida sedentárias, ou seja, de agricultura e pastoreio além das suas tradições históricas a partir do momento que tiveram que viver se deslocando para o leito do Rio Nilo que foi o grande responsável pela economia e sobrevivência desse povo.

Riqueza Arqueológica

O deserto do Saara é bastante importante para os estudos arqueológicos já que um local em que foram encontrados diversos fósseis de dinossauros, outros animais e também objetos e outros resquícios de civilizações que ali habitavam.

Vegetação

Atualmente, o deserto do Saara tem quase nenhuma vegetação com exceção do vale do Nilo e alguns oásis pequeninos, também tem montanhas em que existe alguma vegetação.

A Geografia do Saara

O deserto do Saara é dividido em dois pedaços, o primeiro tem muitas dunas arenosas e recebeu o nome de Erg. O outro pedaço é pedregoso e recebe o nome de Hamadas. Na área desse deserto, além dos países e territórios que citamos acima, também está inclusa a parte da bacia do Rio Nilo, as subregiões do deserto da Líbia, as montanhas Aïr, Hoggar, Atlas, Tibesti e Adrar des Ifoghas, deserto Oriental Africano, deserto do Ténéré e deserto da Núbia.

Por mais estranho que pareça dentro do Saara existem alguns poucos e espalhados oásis que apareceram devido a aquíferos subterrâneos dentre os quais estão os de Ghardaia, Timimoun, Bahariya, Siwa e Kufra. O deserto faz fronteira com a oeste com o Oceano Atlântico, a norte com o mar Mediterrâneo e com a cordilheira do Atlas além do mar Vermelho a leste e ao sul com o Sahel.

África – Um Continente Dividido por Um Deserto

O deserto do Saara divide o continente africano em duas partes, a África Sub-Saariana e o Norte da África. No sul da fronteira saariana existe uma faixa semi-árida de savana que é chamada de Sahel.

A Botânica do Deserto do Saara

Uma forma de identificar e delimitar o deserto é através do estudo das suas formações botânicas. Esses critérios botânicos foram definidos por Frank White e tem ligação com as zonas climáticas. O cultivo de tamareiras (que é feita nas áreas de oásis) é o limite da região norte. Já o limite do sul é do esparto, uma poácea que é bem comum no clima mediterrânico.

Ao sul o Saara é limitado com o Sahel que é uma área (que é como uma cintura) de savana seca que possui um verão com muitas chuvas e que percorre todo o continente africano.

O Clima do Saara ao Longo do Tempo

Hoje em dia é fácil responder qual é o clima do Saara, entretanto, esse deserto passou por inúmeras mudanças no decorrer da história do mundo. O clima foi de seco a úmidos nos últimos 100 anos chegando a um aumento de temperatura de mais de 50°C. Na última Era do Gelo esse deserto era bem mais extenso.

Com o fim da idade do gelo o Saara passou por épocas melhores em relação ao clima, isso mais ou menos entre 8 000 a.C. a 6 000 a.C. As mudanças ocorreram entre outros motivos devido ao fato de ser uma área de baixa pressão bem como com o desmoronar de gelo ao norte.

Após ter acabado a Era do Gelo a região norte do Saara acabou secando, pouco tempo depois as monções trouxeram bastante chuva para o Saara o que fez com a tendência de desertificação fosse estacionada na região sul. Em cerca de 2 500 a.C. as monções acabaram recuando em direção ao sul e assim começou a desertificação do Saara.

Teoria da Bomba do Saara

A aridez do deserto do Saara como conhecemos hoje foi estabelecida há mais ou menos 13 mil anos e são essas características que dão força a chamada Teoria da Bomba do Saara. Esse deserto é reconhecido por ter um dos climas mas áridos do planeta com um vento que vem do nordeste que é capaz de dar forma a verdadeiros furacões.

Apesar de serem manifestações raras já foram registradas e se dão em áreas de beira-mar ao sul e ao norte. É raro que aconteçam chuvas torrenciais e em geral após uma dessas chuvas vem períodos secos bem longos.

A Neve no Deserto do Saara

No dia 18 de fevereiro de 1979 nevou no deserto do Saara, no sul da Argélia. Os cientistas acreditam que o fenômeno aconteceu durante a noite em que a temperatura do deserto pode ficar abaixo de 0°C. Essa tempestade de neve durou mais ou menos 30 minutos e em poucos tempo não havia mais vestígios dessa neve já que com o calor que veio depois tudo derreteu.

Gostou? Curta e Compartilhe!

Categoria(s) do artigo:
Natureza

Artigos Relacionados


Artigos populares

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *