Seres Autótrofos: Características e Desenvolvimento

Você sabe o que são seres autótrofos? Se não conhece, vamos conversar um pouco sobre esses seres tão importantes para a composição do nosso meio ambiente e se você já conhece um pouco sobre o assunto, poderá conhecer alguns fatores bem curiosos e importantes. Sabemos muito bem que conhecer um pouco sobre a natureza e sua formação é indispensável em uma sociedade onde a sustentabilidade é foco em diversos fatores de nossas vidas. Conhecer um pouco sobre cada assunto faz com que possamos direcionar nossos hábitos e até mesmo os de toda uma comunidade para que mais na frente, consigamos viver em uma sociedade mais preocupada com o planeta.

Seres Autótrofos: Características e Desenvolvimento

Seres Autótrofos: Características e Desenvolvimento

Mas então você deve estar se perguntando o por quê de fazermos essa associação entre seres autótrofos e a sustentabilidade, assim como o desenvolvimento natural de uma comunidade. Então vamos entender melhor, combinado?

O Que São Seres Autótrofos?

Existem dois tipos de seres na natureza quando o assunto é alimentação: os seres autótrofos e os seres heterótrofos. Aqui vamos entender melhor sobre os seres autótrofos, que são organismos vivos que conseguem produzir o seu próprio alimento, sintetizando recursos naturais e minerais para alimentar-se sem a necessidade de outro ser vivo.  Esses seres vivos geralmente são compostos de algas e plantas que por meio da fotossíntese ou quimiossintese conseguem alimentar-se e manter o equilíbrio ecológico.

O Que São Seres Autótrofos?

O Que São Seres Autótrofos?

Os seres considerados autótrofos estão na base da cadeia alimentar e são também responsáveis pela manutenção do oxigênio na atmosfera já que o processo de fotossíntese tem como resultado o oxigênio gasoso, principal fonte de energia desses seres. Dentro da definição de seres autótrofos, vamos ainda encontra duas subdivisões: os seres autótrofos fototróficos e os seres autótrofos quimiotróficos.

Vamos individualmente entender o que significa cada uma dessas subdivisões, porém vamos entender um pouco sobre fotossíntese e quimiossíntese.

Fotossíntese

Esse processo é a forma que os organismos sintetizam compostos orgânicos, partindo da presença da luz, água e gás carbônico. Na fotossíntese, os seres vivos utilizam a água e o gás carbônico e através de uma reação química utilizando a energia da luz, geram glicose que utilizam como base alimentar. Esse é um dos processos mais importantes para o desenvolvimento de cadeias alimentares, já que sem a fotossíntese, muitos seres seriam incapazes de sobreviver, já que a base da nossa alimentação está sempre nos compostos orgânicos.

Quimiossíntese

Alguns estudiosos costumam se referir a quimiossíntese como uma fotossíntese das bactérias. Isso acontece porque existe a produção de substâncias orgânicas, destinadas à alimentação de seres vivos, feita através de reações químicas de oxidação de substâncias inorgânicas mais simples e sem o uso da luz solar, como acontece sempre na fotossíntese.

Organismos Fototróficos

Como podemos observar mais acima, existem duas formas de geração de alimento para seres autótrofos e essas subdivisões dos seres autótrofos têm uma relação direta com isso. Nesse primeiro caso, os seres fototróficos resumidamente são seres vivos que recorrem ao uso da fotossíntese para alimentar-se. Isso significa que essa classe de organismos utiliza a luz solar como fonte de energia para produzirem os seus alimentos.

De acordo com a divisão oficial de seres autótrofos, apenas as bactérias não são consideradas como seres autótrofos fototróficos. Isso se dá devido às bactérias realizarem o processo de quimiossintese para produzirem os seus alimentos. Mas apesar de existir uma classificação para seres que pertencem a essa divisão, sempre existem as exceções e nesse caso, podemos citar uma descoberta feira em 2007 por um grupo de cientistas espanhóis, que em  estudos aprofundados descobriram que algumas bactérias conseguem captar a luz do sol com uma espécie de antena, e dessa forma realizam o processo de fotossíntese para gerar seu alimento.

Organismos Quimiotróficos

Ao contrário dos seres autótrofos fototróficos, os organismos quimiotróficos não utilizam o processo de fotossíntese para se alimentar e, portanto utilizam a quimiossintese para gerar sua energia alimentar. Para esses seres, a fonte de energia está toda voltada para compostos totalmente químicos e sem a interferência da luz do sol.

Existem Dois Tipos De Seres Autótrofos Quimiotróficos:

  • Os quimiolitotróficos que são os seres onde os substratos ou fontes de energias são geradas por compostos inorgânicos feita através da oxidação. Geralmente esses seres utilizam o hidrogênio, compostos derivados do enxofre, óxidos de ferro ou amoníaco para produzirem sua energia.
  • Os quimiorganotróficos que os seres quimiotróficos que utilizam fontes de energia geradas através de compostos orgânicos. É nessa categoria que se encontra a maioria das bactérias e os organismos eucariontes que não utilizam a fotossíntese em seu processo de produção de energia.
Imagem de Amostra do You Tube

Predomínio De Seres Autótrofos

A teoria da evolução dos seres vivos defendia que todos os seres primitivos eram heterotróficos, pois segundo cientistas que deram início a esse estudo, a atmosfera primitiva não permitia que seres produzissem seu alimento já que não existia oxigênio livre para que esse processo acontecesse. Em contra partida, outros cientistas já afirmavam piamente que os seres vivos têm origem autotrófica já que como todo ser vivo precisa de energia para sobreviver, os primeiros seres tinham sido capazes de produzi-la.

O que se sabe sobre essa discussão é que sempre surgem novas hipóteses e estudos que comprovem que uma ou outra está correta, apesar da teoria firmada e que sempre é repassada quando o assunto sobre evolução dos seres vivos entra em pauta é que os primeiros seres eram de fato heterotróficos.

Mas o que se tem certeza é que, com o crescimento do número de indivíduos na era primitiva, a quantidade de energia foi se restringindo e dessa forma a sustentação dos mesmos estava ameaçada. Dessa forma, os seres autótrofos se firmaram e sobressaíram em número já que não precisavam de outros componentes para gerar os seus alimentos e dessa forma, tinham prioridade no meio onde viviam.

Apesar de ser uma teoria, digamos de início, ainda podemos defender que cada vez mais, os números de seres autótrofos aumentam e passam a ser substanciais na evolução de novos seres vivos, principalmente das bactérias. Essas últimas estão em constante foco de cientistas e estudiosos pois, diante a modificação do nosso ecossistema as características mudam com muita facilidade, como aconteceu no caso das bactérias fototróficas que citamos mais acima.

Imagem de Amostra do You Tube

3 comentários

  1. pollo te amo mt gostaria de ir no seus show mais nao possoo
    Te amo mt <3

  2. eh nois
    uuuuuuuuui cachorro chama a cadela

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>