Continente Ártico: Características Gerais

Região polar localizada na parte Norte da Terra. Constituída pelo Oceano Ártico e partes do Canadá, Rússia, Dinamarca (Groenlândia), Noruega, Estados Unidos (Alasca), Suécia, Finlândia e Islândia. O termo “continente” consiste em forma de expressão para designar a área considerada ampla.

O local está composto por vasto oceano coberto de gelo, cercado de vegetação congelada em grande parte do ano. A área pode ser definida como “Norte do Círculo Polar Ártico” (66 ° 33′N). De modo alternativo é definido sob a ótica em que a temperatura média do mês quente (julho) é inferior a 10°C (50°F).

Imagem de Amostra do You Tube

Em termos sociais e políticos o Ártico inclui os territórios do norte em oito estados, embora por definições de ciências naturais parte das regiões é considerada subártica. A região consiste no espaço único entre os ecossistemas da Terra.

As culturas na região e os povos indígenas do Ártico se adaptaram às condições de frio extremo. Com o passar dos anos diminui a extensão do gelo do mar. A vida no local inclui organismos que vivem no gelo: Zooplâncton, fitoplâncton, peixes, mamíferos marinhos, aves, animais terrestres, plantas e as sociedades humanas.

Qual o Clima do Ártico?

O clima do Ártico é caracterizado por invernos frios e verões frescos. Precipitação surge sob a forma de neve, com a maior parte da área a receber menos de 50 cm. Os ventos fortes por vezes provocam neve, criando a ilusão de gero contínuo caindo do céu.

As temperaturas médias de inverno podem ser tão baixas quanto -40°C e o clima mínimo registada é de -68 ° C (-90 ° F), aproximadamente. Climas costeiros do Ártico estão moderados por influências oceânicas. Afetado pelo aquecimento global atual, levando ao encolhimento do gelo do mar e liberação de metano.

Devido à migração em direção aos polos de isotérmicas do planeta em cerca de 60 km por década durante de 1970 a 2000, como consequência do aquecimento global, a região do Ártico encolheu em níveis consideráveis.

A perda de gelo marinho é estudada por especialistas em quase todo o mundo. Existe grande variação na previsão de perda de gelo do mar Ártico, com modelos que mostram completo revés entre 2040 e 2100.

Qual a Vegetação do Ártico?

Vegetação no Ártico é composta de plantas como arbustos anões; graminoides  líquenes e musgos que crescem de modo relativo perto do chão, formando a tundra.

Como se move para o norte, a quantidade de calor disponível para o crescimento das plantas diminui de forma considerável. Nas áreas ao norte as plantas são os limites metabólicos. Pequenas diferenças na quantidade total de calor do verão modificam a quantidade de energia disponível à manutenção, crescimento e reprodução.

Temperaturas mais baixas no verão, abundância, produtividade e variedade de plantas podem diminuir. As árvores não conseguem crescer no Ártico, mas nas regiões quentes em que os arbustos são comuns e podem chegar a dois metros de altura: Ciperáceas, musgos e líquenes se formam em camadas espessas. Nas partes frias do Ártico o maior espaço do terreno é quase nu. Plantas não vasculares, como líquenes e musgos, predominam junto com gramíneas.

Quais os Animais do Ártico?

Herbívoros na tundra do Ártico incluem lebres e lêmingues. Eles são predados pela Raposa do Ártico e espécies distintas de lobo. O urso polar também é um predador, embora prefira caçar vida marinha do gelo.

Há também aves e espécies marinhas endêmicas para as regiões frias. Outros animais terrestres incluem arminhos e esquilos árticos. Os mamíferos do mar incluem focas, morsas, cetáceos, baleias de barbas e orcas.

Quais os Recursos Naturais do Ártico?

O Ártico traz consideráveis recursos naturais (petróleo, gás, minerais, água fresca e florestas) por causa da tecnologia moderna e a abertura econômica da Rússia. Interesse da indústria do turismo também aumenta com o passar dos anos.

Não se pode ignorar que o Ártico é uma dos últimos e mais extensas áreas selvagens contínuas do mundo. As importâncias na preservação da biodiversidade e dos genótipos são consideráveis.

Há presença crescente de fragmentos humanos em habitats vitais. Ártico é susceptível à abrasão de cobertura do solo e da perturbação dos raros locais de reprodução dos animais característicos da região. O local detém 1/5 do abastecimento de água da Terra.

Paleo-História no Continente Ártico

Durante o Cretáceo, o Ártico ainda tinha neves sazonais, embora em pouca quantidade, não o suficiente para impedir o crescimento da planta de modo permanente. Dinossauros seguiam ao norte para tirar proveito da safra de verão e migraram para o sul, aos climas quentes, quando chegava o inverno no local. Uma situação semelhante pode também ser encontrada entre dinossauros que viveram em regiões antárticas.

Cooperação da Política Internacional

Oito países são membros do Conselho do Ártico, assim como as organizações que representam as seis populações indígenas oficiais. Funciona na base do consenso, em principal para lidar com os tratados ambientais e conflitos de recursos.

Embora as prioridades da política do Ártico sejam diferentes as nações do Ártico estão preocupadas com a soberania, desenvolvimento de recursos, rotas de navegação e proteção ambiental. Ainda há trabalhos em acordos de regulação a respeito do transporte, turismo e desenvolvimento de recursos das águas.

Pesquisa no Ártico representa esforço de colaboração internacional, evidenciada talvez de modo notável apenas no Ano Polar Internacional. O Comitê Internacional do Ártico para a Ciência traz centenas de cientistas e especialistas.

Reivindicações Territoriais

Nenhum país é dono do Polo Norte ou Oceano Ártico. Os oito Estados que fazem fronteira com o Oceano Ártico organizam acordos relacionados com a economia em torno das costas.

Após a ratificação da Convenção das Nações Unidas sobre o Direito do Mar, um país tem dez anos para fazer reivindicações de plataforma continental estendida para além da sua zona de 200 milhas náuticas.

Em consequência, a Noruega (que ratificou a convenção em 1996), Rússia (ratificado em 1997), Canadá (2003) e Dinamarca (2004) lançaram projetos para estabelecer alegações de que certos setores do Ártico devem pertencem aos próprios territórios.

Ministros dos Negócios Estrangeiros e outros funcionários que representam Canadá, Dinamarca, Noruega, Rússia e Estados Unidos se reuniram na Groenlândia em 28 de maio de 2008 à Conferência Oceano Ártico para anunciar a Declaração de Ilulissat, bloqueando qualquer regime jurídico adicional internacional para governar o Oceano Ártico.

Artigo Escrito por Renato Duarte Plantier 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>