A Bolota do Carvalho é Comestível?

O fruto produzido pelos Carvalhos recebe o nome de Bolota e durante muito tempo foi relegado ao papel de alimento para criações de porcos. No entanto, pesquisas científicas recentes demonstraram que esse fruto é um alimento com grande potencial para a saúde do ser humano tendo inclusive compostos que auxiliam no combate de doenças como o Alzheimer e o Cancro.

O Fruto Bolota

Portugal é um dos países com maior concentração de Carvalhos (nome comum dado as mais de 600 espécies de árvores que estão inclusas no gênero Quercus) do mundo. A região do Alentejo é uma das ricas em Carvalhos e nela os frutos são utilizados como alimento para as criações de porcos concedendo um sabor especial a carne desses animais utilizada para a confecção de um presunto característico local.

Algo interessante é que os portugueses assim como alguns povos que habitavam a Península Ibérica há séculos produzem farinha para fazer pão a partir desses frutos, embora, atualmente esse costume seja menos comum. Com a divulgação científica dos benefícios da Bolota o fruto tem sido mais valorizado.

O Milagre Científico

Durante muitas décadas os portugueses não valorizaram um dos frutos mais ricos em nutrientes e antioxidantes que possuem em seu território. Quando algum chef de cozinha se atrevia a usar bolotas em suas receitas era desacreditado, pois o fruto era considerado como mero alimento de porco. Estudos focados nas bolotas permitiram descobrir seu elevado poder antioxidante assim como o fato de não conter glúten. O fruto ainda possui uma gordura boa que é muito parecida com a encontrada no azeite.

O estudo que ajudou a elevar a bolota a outro status foi realizado pela Escola Superior de Biotecnologia da Católica-Porto. Ter esse conhecimento despertou grande interesse nos portugueses o que acarretou na produção de diferentes derivados desse fruto. Atualmente, há mais restaurantes que incluem bolotas nos seus pratos mais refinados, licores de bolota, bombons cuja base é esse fruto, iogurtes entre outros.

Café de Bolota?

O desenvolvimento de produtos a partir das bolotas chegou até mesmo a uma bebida obtida por meio da torra do fruto, mas que embora seja chamada de café não possui cafeína. Os cientistas observaram que essa bebida tinha grande poder antioxidante mesmo depois da transformação do fruto em líquido. Outro ponto positivo para as bolotas foi o fato de não apresentar nenhum traço de toxicidade, algo comum em alimentos que tem grande quantidade de antioxidantes. Mesmo em concentrações altas os frutos não tem nenhum efeito desagradável para o organismo.

Bebida de Bolota para Cultivar Bactérias do Bem

Depois de produzir café de bolota sem cafeína foi a vez dos cientistas se concentraram no desenvolvimento de uma bebida funcional. Muitos indivíduos com intolerância a lactose substituem o leite convencional por opções como bebidas de aveia ou arroz. Agora essas pessoas poderão consumir a bebida de bolota sabendo que estão proporcionando ótimos efeitos para o seu organismo.

Trata-se de uma bebida que promove o cultivo de bactérias benéficas em nosso intestino melhorando a flora intestinal, o que ajuda a prevenir uma série de doenças que se origina no intestino.

Bolota na Área Cosmética

O processo de estudo desse fruto empreendido pelos cientistas os fez perceber que a bolota poderia ter utilidade também na área cosmética. A casca do fruto possui uma grande quantidade de antioxidantes de maneira que pode ajudar na renovação da pele e contenção do processo de envelhecimento. Também pode ser aplicado em produtos com finalidade cicatrizante e anti-inflamatória.

Desperdício de Bolota

Os entusiastas das bolotas têm alertado para o fato de que Portugal desperdiça mais da metade da sua produção anual do fruto. De cerca de 400 mil toneladas produzidas por ano em torno de 84 mil são usadas para a engorda dos porcos e o restante se perde. É importante iniciar um trabalho focado em reduzir o desperdício para atender a demanda interna e quem sabe exportar para outros países que também venham a descobrir o potencial da bolota comestível.

Curiosidade

No período da Idade Média em algumas aldeias de Portugal o conteúdo do interior das bolotas era usado para curar doenças sexualmente transmissíveis como Herpes, por exemplo.

Gostou? Curta e Compartilhe!

Categoria(s) do artigo:
Flora

Artigos Relacionados


Artigos populares

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *