O Que é Finning?

Consiste na prática de fazer a caça dos tubarões, independente da espécie, no sentido de cortar as barbatanas e jogar do resto do peixe no mar. Desmatamento ambiental representa ato que também prejudica a vida dos habitats marítimos ao alterar o comportamento dos predadores. Porém, não apenas o clima simboliza ponto que prejudica a vida de tubarões como também a prática de finning.

No noticiário popular cresce o número de notícias que se relacionam com o finning, prática que existe desde a Dinastia Sung, na China. O consumo aumentou ao ponto de se tornar ameaça aos tubarões do mundo, o que aumentou a preocupação por parte de ambientalistas que exigem maior força repressora do poder público para diminuir a técnica de pesca que não corresponde aos conceitos sustentáveis.

Aumento do Consumo Finning

No final dos anos oitenta do século XX o governo comunista chinês resolver implantar reformas sob a ótica cultural para valorizar os produtos e por consequência gerar nova classe média e elite com maior poder e desejo de consumir. Os estereótipos tomaram contam de símbolos nacionais e o consumismo entrou na cultura acostumada a ter vidas simples no campo e nas metrópoles.

O julgamento de realidade aumentou o valor dos bens chineses. Comprar arte virou cotidiano da elite, assim como a tecnologia e produtos de consumo, caso das sopas de tubarão. Quem consome o produto tem a sensação de participar da aristocracia chinesa. Valor da iguaria no mercado causou novo boom no mundo com aumento de oferta e dos preços. Todos querem vender para a China! Com índices nas alturas, os pescadores se especializaram em fazer finning e o problema de escassez nas populações dos predadores começou a diminuir.

Globalização e Consumo Finning

Os números deixam claro o aumento do consumo com o boom da globalização! Na última década do século XX aconteceu aumento de demanda equivalente a trezentos milhões de chineses em busca da sopa. Com o tempo aumentou o número de famílias aristocratas e populares com a presença do prato nas mesas, em principal nos feriados, datas comemorativas ou refeição entre empresários.

Há milênios que a atividade está no ramo ilegal. Antes de virar moda no mundo os peixes eram pescados para se aproveitar ao máximo da estrutura, visto que as nadadeiras serviam apenas como a porcentagem menor e por vezes dispensadas. Com o aumento por causa da sopa aumentou a pesca e o mercado denominou a prática de caça ilegal com o nome finning –  atividades em busca exclusiva por nadadeiras.

Oferta e Demanda Finning: Desperdício de Alimento por Dinheiro

Representa prática que acontece de forma cruel, atacada por grande parte dos ambientalistas que não enxergam nenhuma função social para a prática acontecer a não ser a vontade de seguir tendências de consumo da elite. Com os limites que existem dentro do barco para carregar maior número de espécies os pescadores ilegais cortam a parte de valor e jogam o excesso de volta aos mares, Ao excesso de oferta de trabalho os valores diminuem e a cobiça de quem pesca aumenta no sentido de capturar maiores unidades para obter alta faixa de lucro.

O cenário se tornar caótico, mercado ajuda para que o quadro continue com perspectiva de piorar em termos ambientais. Enquanto não se paga valor além do que dois dólares por conta do quilo da carne principal do predador, parte ideal para o consumo, existe valor de cinquenta dólares por quilo da nadadeira depois que fica seca em virtude dos raios solares.

Por esse motivo que parte dos pescadores não pensa duas vezes ao encher o barco com a parte menor e leve do tubarão. Sem contar com as embarcações que cortam a parte do animal e jogam o restante que ainda se move e demonstram o sangue que atrai outros peixes ao consumo, modificando o cenário do habitat de predadores da mesma família que ficam com o comportamento agressivo por causa da mudança no cenário do ambiente.

Os tubarões que se encontram no topo da cadeia alimentar no mar estranham existir força maior capaz de capturar corpos vivos para a superfície que voltam mortos e jorrando sangue. Em termos de habitat essa representa mudança com alto valor simbólico do ecossistema marítimo.

Barbatana dos Tubarões Azuis

As barbatanas dos tubarões azuis possuem procura grande por parte dos pescadores, visto que a unidade seca possui peso maior do que a média em geral. Não há índices nacionais que demonstram o número exato de espécies do gênero que são capturadas ao ano nos mares do Brasil.

Vale destacar os valores no Havaí se equivalem a aproximados cinquenta mil anuais, número recorde ao redor do mundo e que chama a atenção dos ativistas que lutam por direitos de predadores marítimos. De acordo com o noticiário local, grande parte da caça visou cortar apenas as nadadeiras e dispensar o resto no oceano.

A China representa local no qual acontece maior caça e consumo por nadadeiras. Em Hong Kong os visitantes que desejam experimentar a iguaria precisam gastar cerca de duzentos dólares, fato que aumenta o interesse dos pescadores em desmatar para lucrar acima da média no mercado.

Ao que tange os números globais existe a média do início do século XX com faixa de setenta milhões por ano em 120 nações diferentes. Países centrais da Europa correspondem a oitenta por cento da captura em termo mundiais. A Espanha vende quase trinta por cento do consumo que acontece em Hong Kong. No globo terrestre acontece aumento global por sopa de barbata em dez por cento a cada ano, o que prejudica o cenário da vida dos tubarões que seguem o caminho da extinção.

Danos do Fishing ao Meio Ambiente

Com o aumento da demanda de sopas de barbatanas ao redor do mundo o Brasil também segue na tendência de mercado ao corresponder com boa parte do consumo global. Caso a exploração do gênero não diminua nos mares brasileiros existe a estimativa de que até a metade do século XXI, cerca de noventa por cento das principais espécies de tubarões correm o risco de extinção.

Artigo Escrito por Renato Duarte Plantier

Gostou? Curta e Compartilhe!

Categoria(s) do artigo:
Fauna

Artigos Recentes

Artigos Relacionados


Artigos populares

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *