Tipos de Agrotóxicos Mais Utilizados e Perigosos

Os agrotóxicos fazem parte do cultivo agrícola de muitos países com o objetivo de eliminar pragas que infestam as plantações. Porém, quando esses compostos são usados em excesso podem causar sérios problemas de intoxicação no organismo humano. O Ministério da Saúde adverte que os agrotóxicos estão em segundo lugar como os maiores causadores de intoxicação no Brasil. 

Para se ter uma ideia existe cerca de 200 tipos de agrotóxicos diferentes e o Brasil é um dos principais consumidores. Aliás, muitos desses compostos são proibidos em outros países, mas no Brasil são utilizados em larga escala sem uma preocupação em relação aos males que podem causar.

Os princípios ativos dos agrotóxicos podem ser altamente tóxicos e assim causar alterações no sistema nervoso central além de gerar mutações genéticas de graus elevados e que podem ter como consequência neoplasias. Conheça alguns dos agrotóxicos mais utilizados no Brasil.

Tipos de Agrotóxicos Mais Utilizados e Perigosos

Tipos de Agrotóxicos Mais Utilizados e Perigosos

Tipos de Agrotóxicos Mais Utilizados

Abamectina: A Abamectina é um tipo de inseticida e acaricida que pertence a classe toxicológica I, bastante utilizado nas plantações de batata, algodão, crisântemo, cravo, figo, ervilha, manga, feijão, melão, melancia, pimentão, morango, tomate, uva, citros, mamão, pêssego, pepino entre outros. Esse agrotóxico em excesso causa toxicidade reprodutiva do IA e dos seus metabólitos. A ingestão diária considerada aceitável é de 0,002 mg.

Acefato: O Acefato é um inseticida que pertence a classe toxicológica III e que é utilizado com frequência em plantações de couve, amendoim, brócolis, fumo, crisântemo, repolho, melão, tomate, soja, rosa, citros e batata. A ingestão diária considerada aceitável é de 0,03 mg. Quando consumidor em excesso pode causar neurotoxicidade que causa o aumento de células carcinogênicas.

Glifosato: O agrotóxico Glifosato é bastante utilizado no combate a ervas daninhas no cuçtivo de nectarina, maçã, banana, pêra, pêssego, cacau, café, trigo, cana de açúcar, ameixas, entre outras. O efeito desse inseticida é altamente tóxico e a ingestão diária considerada como aceitável é de apenas 0,02 mg. Quando consumido em excesso o Glifosato pode causar efeitos neurológicos.

Veto: Sobre os agrotóxicos a Agência Nacional de Vigilância Sanitária já disse que cerca de 14 substâncias contidas na composição desses compostos mais utilizados no país estão sendo estudados e provavelmente muitos desses produtos que são feitos e utilizados no Brasil acabarão sendo vetados.

Os Três Tipos Mais Perigosos de Agrotóxicos

Dentre os defensivos agrícolas, os agrotóxicos, mais nocivos para o organismo estão os inseticidas, herbicidas e rodenticidas.

Inseticidas – Combate aos Insetos

Organoclorados – Muito perigosos: Esse tipo de agrotóxico está proibido desde 1985, pois esses produtos deixam resíduos permanentes nos tecidos gordurosos de mamíferos, aves e peixes. Dessa forma se uma pessoa consome um animal contaminado passa a estar contaminado também. O veneno é capaz de permanecer por mais de 100 anos no meio ambiente.

Organofosforados – Menos perigosos: Depois que a intoxicação acontece os seus efeitos se manifestam em até 24 horas. Esse tipo de agrotóxico faz parte do grupo chamado de inibidores e os seus efeitos fisiológicos podem causar reações esquizofrênicas.

Carbamatos – Pouco perigosos: Os efeitos dos organofosforados demoram cerca de um mês para sumir já os efeitos dos carbamatos demoram apenas uma semana. Porém, os dois têm as mesmas características e fazem parte do grupo de inibidores.

Herbicidas – Combate a Ervas Daninhas

Paraquat – Muito Perigosos: Um tipo de composto altamente tóxico e que ataca gravemente todos os tecidos do organismo. A intoxicação pode acontecer por ingestão ou então por inalação. Se por acaso esse composto for consumido em estado puro basta uma colher de chá para levar a óbito.

Glifosate – Menos Perigosos: Uma classe de agrotóxico que apresenta um nível de toxicidade relativamente baixo para o ser humano, porém cuja ingestão acidental pode causar vômitos, náuseas e outros tipos de distúrbios gastrointestinais.

Clorofenóxicos – Pouco Perigosos: Quando o manuseio desse tipo de agrotóxico é feito de forma correta é bem pouco tóxico para o ser humano. Porém, durante a sua fabricação é liberada uma substância conhecida como dioxina que deve ser mantida isolada. No caso de ela contaminar esse herbicida a mistura torna-se cancerígena.

Agrotóxicos

Agrotóxicos

Rodenticidas – Combate aos Roedores

Fluoracetato de Sódio – Muito Perigosos: Dentre todos os tipos de agrotóxicos certamente a categoria dos rodenticidas é a mais venenosa de todas e o Fluoracetato de Sódio em particular é o pior de todos. O seu uso é proibido no Brasil, porém, em outros países como Estados Unidos, Nova Zelândia e Europa o seu uso ainda é liberado.

Fosfeto – Menos perigosos: O Fosfeto é bastante utilizado para a proteção de sementes que ficam em estoque antes do plantio. O uso doméstico para o combate de ratos é bastante comum, mesmo sendo um composto proibido no país. Quando esse composto entra em contato com a água ou com a saliva libera a fosfina, um gás venenosíssimo.

Hidroxicumarínicos – Pouco Perigosos: Esses produtos são granulados e dessa forma dificilmente passam despercebidos a ponto de serem ingeridos por acidente. Nos seres humanos a toxicidade desses produtos é relativamente baixa, porém, podem causar hemorragias.

Aplicação de Agrotóxicos

Aplicação de Agrotóxicos

Venenos Poderosos

Os pesticidas são muito perigosos para o ser humano, porém somente quando ingeridos ou inalados no seu estado puro.

Via Aérea: Grande parte dos agrotóxicos é pulverizada na forma líquida através de aviões. Dessa forma a aplicação é bastante perigosa uma vez que em dias de muito vento esse veneno pode acabar se espalhando contaminando assim rios e populações vizinhas.

Sistema Circulatório: Os pesticidas que fazem parte do grupo hidroxicumarínicos fazem com que o sangue perca a sua propriedade coagulante e isso pode provocar hemorragias.

Sistema Reprodutor: Os carbamatos, organoclorados e organofosforados podem levar ao aborto e os clorofenóxicos causam interferência na produção de espermatozóides.

Coração: Os agrotóxicos do grupo dos organofosforados e dos carbamatos podem causar descontroles nervosos e até mesmo parada cardíaca. O paraquat causa queimaduras e lesões nos tecidos internos dentre eles os do coração. 

Fígado: O fígado é outro órgão atacado pelo paraquat, um veneno que causa estragos bem significativos nos tecidos internos.

Sistema Digestivo: Os organofosforados, os carbamatos, os clorofenóxicos e o glifosate podem causar náusea, vômito e diarreia. Esses sintomas são considerados comuns para indicar que existe um tipo de intoxicação.

Cérebro: Os carbamatos e os organofosforados causam a paralisia de enzimas essenciais para o sistema nervoso. Isso pode causar um descontrole que leva a parada respiratória ou mesmo cardíaca sendo fatal.

Posts Relacionados

É muito importante que agrotóxicos e pesticidas sejam usados da maneira correta para evitar contaminações e a poluição do solo. Os efeitos do mau uso dos agrotóxicos são muito graves e podem, inclusive, levar a morte de seres humanos e animais.

Gostou? Curta e Compartilhe!

Categoria(s) do artigo:
Agricultura

Artigos Relacionados


Artigos populares

Comentários

  • Estou comesando uma plantação de bananas maçãm e notamos o aparacimento de alguns fungos pergunto :qual o tipo de agrotoxico que devemos usar.

    verônica f. silva 26 de Fevereiro de 2014 17:16
  • Muito bom me ajudou muito

    Eduarda heisler 12 de agosto de 2015 17:58
  • E BEM INTERESSANTE E ME AJUDOU MUITO

    ISAQUE 7 de setembro de 2016 15:21

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *